sexta-feira, 15 de junho de 2018

Na RPPN Reluz vivemos o amor pelos animais por meio do vegetarianismo (assista aos vídeos)




Amigos e amigas, 

compartilhamos INFORMAÇÕES sobre o vegetarianismo porque acreditamos que é algo bom e que beneficia a pessoa que adere, aos animais e ao planeta como um todo. Há quase quinze anos Luiz e eu somos vegetarianos, essa opção de vida fez toda a diferença na nossa forma de ver o mundo, nos dando um sentido para viver e nos implicando na luta por um lugar melhor para vivermos. 

Definitivamente não se trata se "ser iluminado", "ser evoluído" e nem de ser "bonzinho", estamos longe de ser assim, mas trata-se de ser CONSCIENTE, em assumir a parcela de responsabilidade pelo quadro social e ambiental que vivemos hoje e, mais importante, de antecipar e viver a paz que tanto almejamos.

O mundo clama por paz, justiça,  solidariedade, compaixão, mas, observamos que a violência se naturaliza e cresce tornando a vida banalizada. Nós, humanos, precisamos viver todos esses valores aos invés de apenas desejá-los. 

A Reserva Natural Reluz já nasceu implicada com esse compromisso de amor para com a vida e, como diz o Zen budismo, quando nos alimentamos "Celebramos com todos os seres".

Convidamos vocês a assistirem esses importantes documentários, "A CARNE É FRACA" e "TERRÁQUEOS", refletirem e fazerem as suas escolhas!


Abraço fraterno,

Renata Bomfim


[RPPN Reluz] Vamos todos ao V Congresso Brasileiro de RPPNs discutir o futuro das RPPns brasileiras



Amigo e amiga, sejam vocês RPPnista ou não 

É necessário que se fortaleça a aliança entre a sociedade e o poder público para a preservação e recuperação do remanescente da Mata Atlântica. 

Nós da RPPN Reluz acreditamos que o V CNRPPNs dará à variados grupos uma oportunidade singular de diálogo e parcerias que fomentarão o crescimento e o fortalecimento das RPPns nos estados. Fica ai então o nosso convite!
Abraços
Renata Bomfim

quinta-feira, 14 de junho de 2018

Vice-governadoria realiza visita técnica nas RPPNs Reluz e Koehler, em Marechal Floriano/ES (12/06/2018)


No dia 12 de junho de 2018 recebemos a visita técnica do representante da Vice-Governadoria, cumprindo o prometido pelo Vice-governador Cesar Colnago, em reunião realizada no dia 07 de junho (ler matéria). O Agente de Extensão em Desenvolvimento Rural Luiz Carlos Leonardo Bricalli veio às RPPN Reluz e Khoehler, em Marechal Floriano, conhecer um pouco do dia a dia dos RPPNistas e dos desafios que esses encontram na gestão das Reservas. 

A RPPN Reluz é voltada integralmente para a preservação, pesquisa e educação ambiental já a RPPN Koehler também é voltada para a produção rural orgânica e sustentável. 

Essas duas RPPNs deram uma pequena mostra das contribuições que as RPPNs prestam à sociedade capixaba. O ES conta hoje com 57 RPPNs distribuídas em 22 municípios. Se levarmos em conta que 80% da Mata Atlântica remanescente está em terras de particulares e que no nosso estado 56 municípios não possuem ainda RPPNs, veremos o quanto essa importante modalidade de unidade de conservação precisa ser fomentada no ES. 

O Movimento RPPNista Capixaba tem trabalhado na divulgação das RPPNs, mas necessitamos que o Governo, as prefeituras e o Ministério Público abracem essa causa apoiando as RPPNs. 

Registramos aqui a nossa alegria com a abertura desse importante canal de diálogo entre o Governo e os RPPNistas, confiantes de as nossas solicitações serão atendidas e que juntos somos mais forte na defesa da floresta e da biodiversidade capixaba. 

Renata Bomfim

Uma das placas da RPPN Reluz esculpidas por Luiz Bittencourt,
sitada na chegada da RPPN Reluz.

Visita do representante da Vice-governadoria, Luiz Carlos Leonardi Bricalli,
 à trilha que margeia a Mata da RPPN Reluz
com os proprietários Renata Bomfim e Luiz Bittencourt (e a mascote Evita Peron)
Visita a RPPN Koehler, onde o RPPnista Clóvis Koehler apresentou os desafios de gestão
 de uma RPPN que consorcia Mata e produção rural orgânica e esustentável


quinta-feira, 7 de junho de 2018

Vice-Governador do Estado do Espírito Santo, Cesar Colnago, recebe o Movimento RPPNista Capixaba

Da esquerda para a direita: Luiz Carlos Leonardi Bricalli (Agente de Extensão em Desenvolvimento Rural), Sebastião Francisco Alves (Proprietário da RPPN Remy Alves), O Vice-Governador Cesar Colnago, Renata Bomfim e Luiz Bittencourt (proprietários da RPPN Reluz

Hoje (07/06/2018) o Vice-Governador Cesar Colnago recebeu o Movimento RPPNista Capixaba. Nessa reunião entregamos ao Vice-Governador um documento com os anseios dos RPPNistas capixabas, destacando a necessidade do cumprimento do Decreto Estadual 3.384-R, de 2013, que prevê uma serie de apoios para os RPPNistas. Foi solicitada, também, a inserção dos RPPNitas nas políticas públicas voltadas para o meio ambiente e, por meio de exemplos cotidianos dos proprietários, mostramos como estamos excluídos das discussões ambientais, especialmente daquelas que tratam das Reservas. 
Foram explicitadas algumas das dificuldades que os RPPNistas enfrentam no dia a dia, como a insegurança pela presença de caçadores e traficantes de pássaros e plantas nas matas e de como urge a criação de políticas públicas inteligentes e inovadoras para as RPPNs.  Fez parte da pauta, também, a importância das RPPNs como prestadoras de serviços ambientais essenciais para a sociedade. 

O Espírito Santo é um estado que possui 78 município, desse apenas 22 possuem RPPNs. Esse dado foi apresentado, junto com o pedido de políticas EFICAZES de divulgação e incentivos para a criação de novas RPPNs.

Explicamos ao Exmo. Vice-Governador que muitas vezes há uma confusão semântica com relação ao "particular" que tipifica essa modalidade de unidade de conservação. A Reserva é "particular" sim, mas "do Patrimônio Natural", o que quer dizer que a perpetuidade de sua preservação foi garantida pelo proprietário ao averbá-la na escritura. Assim, quando pedimos apoio para nossas reservas "particulares", pedimos apoio para gerenciar uma área que está sob nosso cuidado, mas que trabalha interruptamente para o bem comum produzindo água, conservando os solos, regulando o clima e protegendo nascentes, animais, plantas, etc. 

Cada conquista alcançada pelos RPPNistas é uma conquista da sociedade em geral, por isso as RPPNs são consideradas pelo Decreto 3.384-R com sendo "de utilidade pública".

O Vice-Governador mostrou-se sensível às solicitações feitas pelo Movimento RPPNista Capixaba e se comprometeu a buscar soluções e criar mecanismos para que as dificuldades que os RPPNistas enfrentam sejam superadas. 

Além de pedirmos o cumprimento do Decreto Estadual 3.384-R, solicitamos auxílio por meio de incentivos fiscais já previstos, para a facilitação na aquisição de equipamentos e insumos, incentivos para a implantação de energias renováveis, fomento da produção agroecológica, editais da FAPES para fomentar a pesquisa nas RPPNs, entre outras. 

Agradecemos ao Vice-Governador Cesar Colnago e ao Luiz Carlos Leonardi Bricalli 
a forma respeitosa com que fomos recebidos e estamos confiantes que esse importante canal de diálogo entre o Governo do ES e os RPPNistas renderá bons frutos!
Renata Bomfim

terça-feira, 5 de junho de 2018

"A realidade é diferente da Propaganda": servidores do IEMA protestam no Dia Nacional o Meio Ambiente e falam sobre sucateamento e ingerências (05/06/2018)


A cada dia vimos corroborada apertinência do nosso pleito. Os servidores denunciam o sucateamento do IEMA. Os funcionários pedem a saída do atual secretário de Meio Ambiente, Aladim Cerqueira. Segundo Jessica Modenese, coordenadora Geral da Associação dos Servidores do IEMA, "a realidade é diferente da propaganda", ela afirma ainda que pode se dizer que "o IEMA é um paciente na cama, praticamente morto", numa espécie de "COMA INDUZIDO".


Analisei no post anterior o discurso do IEMA na comissão de Meio Ambiente da ALES, no dia 29/05/2018, com relação às RPPNs. Primeiramente, confirmando a relação monológica que o órgão mantém com os RPPNistas, pois o Movimento RPPnista Capixaba não foi convidado, ou sequer algum rppnista. Enfim. Eu soube que nessa reunião com a Comissão, a Câmara de RPPN relatou as mil maravilhas que tem feito pelo RPPNistas. Ainda não tivemos acesso á gravação, assim que tivermos o Movimento RPPNista irá se manifestar publicamente.


Tentamos há muito tempo ser recebidos pelo Secretário Estadual de Meio Ambiente, mas NADA. Somos completamente ignorados. 

Enfim, concordo com a fala da servidora quando afirma que "A REALIDADE É DIFERENTE DA PROPAGANDA".

Até agora fomos tratados como objetos do discurso, queremos ser ouvidos, os RPPNistas precisam estar implicados nas políticas de Meio Ambiente do estado do ES. Estamos abertos ao diálogo e consideramos o IEMA um parceiro em potencial, basta apenas nos escutar e reconhecer o trabalho que prestamos em prol do Meio Ambiente.



RPPN Reluz parabeniza todas as RPPNs brasileiras no Dia Internacional do Meio Ambiente


"O amor pela natureza deve se traduzir 
em ações concretas em favor da sua preservação"
Renata Bomfim

domingo, 3 de junho de 2018

Comissão de Meio Ambiente da ALES solicita ao IEMA a criação de incentivos para melhorar a qualidade de vida dos RPPNistas Capixabas (29/05/2018)


primeira reunião do Movimento RPPNista com a Comissão de Meio Ambiente 
da ALES no dia 06/02/2018


No dia 29/05/2018 a Comissão de Meio Ambiente da Assembleia Legislativa do ES recebeu o Instituto Estadual do Meio Ambiente (IEMA) para tratar de assuntos referentes às RPPNs Capixabas. 

O Deputado Rafael Favatto, presidente da Comissão, destacou os grandes "benefícios que áreas preservadas podem trazer ao nosso estado", ressaltando que "é preciso criar mecanismos para incentivar ainda mais a criação de áreas de preservação no estado", sendo de particular importância "resgatar mecanismos para dar qualidade de vida a proprietários que criam suas RPPNs".

o trajeto de militância do Movimento RPPNista Capixaba junto ao poder público: Assembleia Legislativa, Governadoria, Vice-Governadoria, prefeituras, entre outros espaços começa a mostrar resultados, pois, quando pedimos pela primeira vez para falar sobre a importância das RPPNs Capixabas, na ALES, bem como, quando passamos a descortinar a situação de abandono que os RPPNista enfrentam, alguns legisladores não sabiam o que era uma RPPN. 

Infelizmente, o IEMA, que possui uma "Câmara" criada para atender a assuntos relacionados às RPPNs, costuma deixar os RPPNsitas fora das discussões, decidindo sozinhos pelo grupo. Enfim, a relação do IEMA com os RPPNistas capixabas não é dialógica e somos forçados a aceitar o que decidem e ponto final. 

Nesse encontro com a Comissão de Meio Ambiente da ALES, a representante do IEMA afirmou: "é uma responsabilidade, mas também é a realização de um sonho para muitos proprietários que pensam em deixar a terra como um legado a futuras gerações e à família". Concordamos que as RPPNs são um legado para as futuras gerações, e que os RPPNistas encontram nessa modalidade de unidade de conservação a realização do sonho de contribuir para com a preservação ambiental, entretanto, a ênfase dada pelo IEMA na "responsabilidade" do RPPNista nos preocupa, pois, percebemos uma unilateralidade nesse discurso que se reflete em ações, ou melhor, na falta de ações que ajudem o RPPNista na gestão das Reservas.

Nós assumimos muitas responsabilidades, sim, e bravamente, a maioria de nós sem recursos, na garra, por amor à causa, mas existe a RESPONSABILIDADE DO PODER PÚBLICO, e essa não pode ser deixada fora das discussões. O artigo 255 da Constituição Federal deixa claro que “o meio ambiente ecologicamente equilibrado” é um direito de todos e algo “essencial à sadia qualidade de vida”, sendo que se impõe “ao PODER PÚBLICO e à coletividade o dever de defendê-lo para as presentes e futuras gerações”.

Ou seja, os RPPNistas Capixabas estão fazendo a sua parte, agora precisamos que o poder público garanta o suporte previsto por lei, no nosso caso, temos o Decreto Estadual 3.384-R que garante uma série de incentivos que ajudariam na gestão das RPPNs, mas esse Decreto não é cumprido! e ONDE ESTÁ O ICMS ECOLÓGICO? Esse apoio já foi conseguido por todos os outros RPPNistas da Região Sudeste.

Deve ficar claro que o Governo não cria RPPNs, ele a chancela. São os proprietários de terras (RPPNistas) que, de livre INICIATIVA, criam as Reservas registrando na escritura, em caráter de perpetuidade, a sua vontade de preservação, ou seja, essas áreas mantenedoras da vida, da biodiversidade e prestadoras de importantes serviços ambientais serão preservadas para sempre.

Assim que cria a RPPN custeando todo o processo (georreferenciamento, documentos de cartório, etc.) o RPPNista precisa gerenciar essa área. Observemos que o Governo já economizou, pois não precisou desapropriar terras e nem criar infra-estrutura, manter empregados, etc, os RPPNistas já fizeram tudo isso. O que pedimos não e muito, é APOIO, e esse apoio já está previsto em Lei!

A representante do IEMA disse ainda que “há formas de compensação ambiental previstas na legislação para que sejam criadas mais áreas como essas". Bem, esse é um tema importantíssimo que precisa ser amplamente debatido com os RPPNistas Capixabas, é preciso haver TRANSPARÊNCIA no uso desse dinheiro público, pois até hoje eu e muitos RPPNistas não conseguimos sequer uma placa com o IEMA.

Precisamos que o IEMA nos receba, deveríamos ser parceiros, pois, juntos, podemos fazer muito pelo Meio Ambiente no ES. É sabido que o Governo sozinho não dá conta de cuidar do Meio Ambiente, é preciso abrir espaço para a sociedade civil se implicar.

Ainda não temos uma associação de RPPNistas formada, mas em breve teremos, essa está em fase de construção. Mas, possuímos um MOVIMENTO DE RPPNISTAS unido, forte e que tem feito bonito, divulgando as RPPNs e fomentando a criação de novas reservas para a proteção da biodiversidade do nosso estado.

OS RPPNISTAS CAPIXABAS NÃO PODEM SER EXCLUÍDOS DAS DISCUSSÕES QUE ENVOLVEM AS RPPNS. Precisamos, não, EXIGIMOS ser respeitados!

Aproveitamos para agradecer ao Deputado Rafael Favatto a implicação na causa dos RPPNistas, esse apoio tem sido fundamental para nós e estamos certos que vamos avançar na proteção da nossa Mata Atlântica!
Renata Bomfim
Proprietária da RPPN Reluz 





Outras reportagens: