sábado, 13 de fevereiro de 2021

Live: Os R's da Sustentabilidade (Profª Dra. Renata Bomfim)




Os R's fazem parte de um processo educativo que incentiva e promove a mudança de hábitos dos cidadãos. O estilo de produção e de consumo atual tem gerado grandes danos no planeta, desde o uso irresponsável da água, o uso exacerbado de plástico que polui os oceanos e destrói vida marinha, passando pelos gases poluentes emitidos pelos carros, esses são temas sobre os quais precisamos REFLETIR (eis um dos R's). O que podemos fazer para minimizar os impactos ao meio ambiente no nosso dia-a-dia e contribuir para a construção de uma sociedade sustentável? Vamos bater um papo sobre essas questões na nossa live, vocês são meus convidados. 

Dia 25/02/2021, às 20 horas no Instagram @renatabomfim.rppnreluz 

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2021

RPPN Reluz (ES) comemora o Dia Internacional das RPPNs com palestra e homenagens.


 O Dia Nacional das RPPNs foi conquistado após alguns anos de militância dos RPPnistas, ele é uma afirmação dessa modalidade de unidade de conservação que tem se mostrado eficaz na preservação do meio ambiente nos seus variados biomas.

A Reserva Natural Reluz, tornada RPPN de 2017, aproveita a oportunidade dessa comemoração para refletir com a comunidade, em especial a comunidade do entorno da RPPN, sobre temas ambientais relevantes. Esse ano o tema se impôs devido aos incêndios que assola o Brasil e a um foco próximo à Reluz que se não fosse rapidamente apagado pelos bombeiros poderia ter causado uma tragédia.

Em função da pandemia não foi possível fazer o evento presencialmente, como ocorreu no ano anterior, dessa maneira buscamos parceiros para a realização de um evento virtual. A Câmara Municipal de Marechal Floriano acolheu o nosso pedido, assim como o 4º Batalhão de Bombeiro de Marechal Floriano. 


No dia 27 de janeiro recebemos a visita técnica do Presidente da Câmara Municipal de Marechal Floriano, Cezar Tadeu Ronchi, quando conversamos sobre a necessidade de políticas públicas que fomentem a criação de novas reservas e incentivem a preservação ambiental no município. Nesse dia houve, também, o plantio de árvores. Esse foi o início da comemoração que contou com uma palestra sobre a importância da prevenção aos incêndios florestais, no dia 01 de fevereiro, e no dia 03 de fevereiro, a Câmara Municipal  de marechal Floriano homenageou as RPPNs florianenses:

- RPPN Koheler.

- RPPN Rio Fundo.

- RPPN Reluz.

A RPPN Reluz aproveitou a ocasião para homenagear as 57 RPPNs capixabas e alguns parceiros que durante o ano de 2020 contribuíram para com o bom andamento dos trabalhos na RPPN Reluz. 

Estamos felizes com o  resultado dessa ação integrada que aproximou entidades públicas, RPPNs e pessoas que simpatizam e apoiam a causa RPPNista. 

Agradecemos o apoio de todos e que o movimento RPPNista cresça e se fortaleça a cada dia!

  

RPPN Reluz marca presença no VI Congresso Nacional de RPPNs, promovido pela CNRPPN.

Foi com alegria que participamos do VI Congresso Nacional de RPPNs, realizado pela CNRPPN. Enquanto gestora da RPPN Reluz e presidente do Instituto Ambiental Reluz pude constatar a importância desse evento que promoveu a integração e troca de experiências entre os RPPNistas brasileiros. 


terça-feira, 26 de janeiro de 2021

Atividades do Dia Nacional das RPPNs/ 2021 (RPPN Reluz/ ES)

 


DIA NACIONAL DAS RPPNs

 A Reserva Natural Reluz foi criada em 2007 e, em 2017, tornou-se uma Reserva Particular do Patrimônio Natural. 

Desde que a Lei 13.544, de 19 de dezembro de 2017, instituiu o dia 31 de janeiro como sendo o Dia Nacional das RPPNs, a Reserva Natural Reluz realiza eventos que objetivam conscientizar a população para temas relacionados à preservação ambiental. No ano anterior, 2020, foi destacada a importância da preservação das ABELHAS NATIVAS SEM FERRÃO para a preservação da vida, ocasião na qual a Reserva Natural Reluz inaugurou o Meliponario Reluz e firmou parceria com a AME-ES.

Tendo em vista a tragédia que vem ocorrendo em variados biomas brasileiros, e a um foco de incêndio perigoso que ocorreu no entorno da Reserva ambiental Reluz a poucos dias, escolhemos dedicar esse dia 31 de janeiro de 2021 a PREVENÇÃO E COMBATE AOS INCÊNDIOS FLORESTAIS

O Verão é uma temporada na qual o número de incêndios florestais aumenta, causando prejuízos incalculáveis à biodiversidade e, por conseguinte, a saúde das pessoas e a economia. Às altas temperaturas, soma-se, muitas vezes, o desconhecimento e o descuido humano, pois, grande parte dos incêndios florestais decorre de pequenas fogueiras, práticas agrícolas equivocadas e, até mesmo, de uma “inocente”, guimba de cigarro jogada na estrada. 

Vivenciamos um cenário ambiental caótico, no qual variadas espécies encontram-se em vias de extinção, além do mais, a poluição no ar gera variados males à saúde e o aquecimento global torna a terra mais quente. É necessário um pacto entre o PODER PÚBLICO E A SOCIEDADE para que esse cenário seja modificado.

A comunidade rural e as comunidades em torno áreas de mata possuem um papel decisivo na prevenção aos incêndios florestais. Práticas do dia-a-dia como se evitar colocar fogo em lixo ou em pequenas áreas destinadas ao cultivo contribuem grandemente para assegurar tragédias evitáveis. 

A Reserva Natural Reluz (RPPN Reluz) pretendia fazer outro evento presencial, mas, por conta da pandemia não foi possível, mas, isso não nos impede de criar novas formas de interação com as pessoas e, assim, convidamos a comunidade, o poder público para refletirem e contribuírem com ideias para a resolução desse trágico problema que ameaça as florestas. 

Renata Bomfim

sexta-feira, 22 de janeiro de 2021

Conheça o Projeto Reluz na Estrada, uma parceria entre a RPPN Reluz e a PRF-ES.


 Ação educativa realizada no Dia Internacional da Mulher. 

Dia Nacional das RPPNs comemorado na RPPN Reluz/ 2020

Soltura de pássaros silvestres na RPPN Reluz. Parceria com o CETAS/IBAMA-ES


Um momento muito emocionante da celebração do Dia Nacional das RPPNs 2020, na RPPN Reluz, foi o da soltura de pássaros apreendidos, pelo IBAMA, essa ação reforça o nosso esforço para a construção do Viveiro de Reabilitação e Soltura de pássaros silvestres na Reserva Natural Reluz, um sonho antigo que está prestes a se tornar realidade. 

Inauguração do Meliponario Reluz no Dia Nacional das RPPNs 2020, em Marechal Floriano/ ES


Diretoria da Associação de Melipolicultores do ES:  Presidente de Honra Adailton Gonçalves Pinheiro, Presidente João Luiz Teixeira Santos, Tesoureira Adriana Pessotti Bastos e gestores da RPPN Reluz Renata Bomfim e Luiz Bittencourt.

Nossa amizade com a Associação de Meliponicultores do ES, a AME-ES, já é antiga, foi com essa turma animada que passamos a conhecer melhor as abelhas nativas brasileiras e o quanto é urgente ações de preservação para que elas não desapareçam, a exemplo da Uruçu capixaba que ainda correr risco de extinção. No dia 31 de janeiro de 2020, Dia Nacional das RPPNs, essa amizade ganhou contorno institucional e a RPPN Reluz e a AME-ES firmaram um termo de parceria e inauguraram o Meliponário Reluz., destinado a educação ambiental.

Foi uma manhã muito agradável e produtiva. Tivemos a alegria de ter na inauguração representantes da Secretaria Municipal de Meio ambiente de Marechal Floriano, do Vereador de Marechal Floriano Ubaldino Saraiva, juntamente com o com o técnico do INCAPER Cesar Krohling; do fotógrafo e observador de aves membro do AMOAVES e do COA João Andrade, do Superintendente do IBAMA Diego Libardi e dos analistas ambientais do IBAMA Décio Luiz C. Motta e Rosângela Laia, do Secretário interino de Meio Ambiente do Estado do Estado Elber Dos Reis Tech e os nossos vizinhos.

Agradecemos muito a AME-ES por apoiar os projetos da Reluz, e estamos certos que essa parceria renderá bons frutos. 

A RPPN Reluz concedeu o título de Amigos da RPPN Reluz a pessoas e instituições que são apoiadoras dos projetos da Reluz.
 Nosso agradecimento a Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Marechal Floriano, nas pessoas do Secretário Sérgio Stein e dos biólogos Átila Domingues e Anderson Ferreira.

Prestamos uma homenagem aos nossos vizinhos, o Sr. Dalton e Dona Elza, que são os moradores mais antigos da região.

Nosso agradecimento ao Secretário interino de Meio Ambiente do Estados do ES Elber Reis Tech, extensivo ao Secretário de meio ambiente Fabrício machado.

Homenageamos o amigo e apoiador da RPPN Reluz Ubaldino Saraiva, vereador em Marechal Floriano e extensionista do INCAPER.

Nosso agradecimento ao mais novo parceiro de trabalho da RPPN Reluz, a Associação de Melipolicultores do ES (AME-ES). Na imagem Adailton Gonçalves Pinheiro, Presidente de honra, João Luiz Teixeira Santos, Presidente e Adriana Pessotti, tesoureira da AME-ES.

Homenageamos o amigo fotógrafo e observador de pássaros João Andrade, que acompanha e colabora com os trabalhos da RPPN Reluz desde a sua criação.

Nosso agradecimento a todos!


terça-feira, 10 de novembro de 2020

Candidata a vereadora pelo PV, Renata Bomfim assina carta de compromisso com a Frente do Abolicionismo Animal (FALA)

 

'Abolicionismo animal' em pauta nas eleições da Capital

"Enquanto houver matadouros, haverá campos de guerra". A famosa frase do célebre escritor russo Leon Tolstói, em defesa da dieta vegetariana, resume de forma radical a visão mais profunda sobre a influência que a alimentação humana exerce sobre a evolução moral das civilizações. Passados mais de cem anos de sua morte, a humanidade continua avançando nessa pauta, como ele mesmo já havia constatado em relação ao século XIX, tendo agora, como uma de suas bandeiras-conceito mais avançadas, o "abolicionismo" ou "libertação". 

Em nível nacional, a ONG Fala – Frente de Ações pela Libertação Animal -tem trabalhado na campanha Voto Animal, angariando apoio de candidaturas ao executivo e legislativo municipais por meio da assinatura de uma carta-compromisso com uma ampla pauta de defesa dos direitos dos animais. Até agora, 257 candidaturas assinam a carta, sendo treze de prefeituras, quatro delas em capitais.

O Espírito Santo marca presença com quatro nomes: Sérgio Sá (PSB), que disputa a prefeitura de Vitória, e três concorrentes à Câmara: Renata Bomfim (PV), Professor Gean Jaccound (Rede) e Naone Garcia (PSD).

A carta apresenta 31 propostas de ações que, apesar da aparente radicalidade do nome da entidade, são, em sua maioria, pragmáticas, facilmente compreensíveis mesmo para os recém-iniciados nas discussões sobre bem-estar animal (linha mais suave de defesa dos direitos dos animais) e amparadas na Constituição Federal, na Lei de Crimes Ambientais e em iniciativas e leis em tramitação no país já há algum tempo.

Diferentemente do que muitos poderiam imaginar, a alimentação não é o centro das propostas. Das 31, a dieta vegana (livre de qualquer proteína animal ou sofrimento animal) aparece em apenas três, que abordam o estímulo à capacitação de profissionais de saúde para atender pacientes veganos; o desenvolvimento de cursos, oficinas, degustações e demais ações de divulgação da dieta vegana; e o incentivo à oferta de refeições veganas em estabelecimentos públicos e privados, incluindo a rede de ensino, saúde, assistência social e de privação de liberdade.

Nessa linha, se situa a única mulher na lista da Fala no Estado. Professora, escritora, arte-terapeuta, ambientalista, proprietária de uma Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) e ex-presidente da Academia Feminina Espírito-Santense de Letras, Renata afirma que, mesmo sendo vegetariana, entende que a alimentação é apenas uma parte da questão, e não necessariamente tem que ser a primeira a ser pautada num espaço complexo e democrático como o poder público.

"Vegetarianismo não como imposição, mas como uma referência, um hábito alimentar que nos encaminha para uma sociedade mais saudável, mais justa e menos violenta", defende. "Sustentabilidade é viva, ela pulsa. É muito pouco reduzir a sustentabilidade a um conceito! Hoje toda empresa é sustentável? O que que é isso? A sustentabilidade está nas pequenas práticas do cotidiano".

Para o Professor Gean,  "a proposta é ampla e ousada, mas não radical. É uma proposta para se pensar no futuro; ela está à frente de seu tempo. Alguns itens dizem respeito a Vitória, outros não, seja por já existirem leis em consonância com o exposto na carta, seja por se tratar de uma realidade diferente da nossa", declarou, citando a construção de um hospital veterinário público e a intensificação dos serviços de castração como pautas necessárias de serem discutidas na Câmara de Vitória, e outras que não estão no seu escopo de atuação caso eleito, como a proibição de uso de animal para tração, por já haver lei nesse sentido, e a proibição de caça de animais silvestres, por não se destacar na realidade da cidade.

Já Naone Garcia ressalta prioridades da carta como o incentivo à realização de eventos de adoção de animais abandonados; a política pública de castração de animais domésticos, comunitários e errantes; e a promoção de campanha de conscientização para a importância da adoção de animais domésticos. "Não concordo com os pontos que sugerem criar estruturas administrativas, porque isso onera o município, mas acredito que com adequação de processos e pessoal, as equipes atuais da prefeitura podem dar conta das demandas que são levantadas", ponderou.

Fundo e Conselho municipais

Há ainda proposta de criação de um fundo e um conselho municipal de proteção animal e de uma frente parlamentar com a temática; a proibição de queima de fogos de artifício ruidosos (a serem substituídos pelos silenciosos); a criação de um santuário de animais; a proibição da utilização de superfícies contínuas de vidro que atraem aves que se machucam ou morrem ao se chocarem contra elas; e uma política tributária que favoreça empreendimentos de venda de produtos ou serviços em que haja sofrimento animal e onere os que atuam no sentido contrário.

No documento, os candidatos se comprometem ainda a indicar, até o primeiro dia de seu mandato, caso eleito, uma pessoa da equipe para ser interlocutora junto à ONG e demais organizações parceiras para facilitar o diálogo constante; e o acompanhamento contínuo do cumprimento dos compromissos, com prestação de contas semestral.

Especismo e senciência

Na esteira do apoio às propostas, os candidatos são provocados a apoiar mobilizações nacionais em favor de inovações científicas que permitem a produção de cosméticos e medicamentos sem testagem em animais (não-humanos) e mesmo a produção de conhecimento científico como um todo sem os experimentos que utilizam, como cobaias, outros seres sencientes. Aqui, outro termo moderno, que também é apresentado para os que ainda não o conhecem: a capacidade que outros animais, não-humanos, possuem de sentir emoções e sentimentos de forma consciente, e que está associado ao igualmente contemporâneo conceito de "especismo".

"Considerar-se no direito de explorar outros indivíduos simplesmente porque pertencem a um outro grupo abstrato, desconsiderando suas propriedades concretas, é uma atitude discriminatória. Quando fazemos isso com os animais de outras espécies que também têm os mesmos interesses que nós, animais humanos, essa discriminação se chama especismo: uma atitude antiética e antropocêntrica baseada na ideia de que a espécie humana é tão mais superior, tão mais especial, que se vê no direito de explorar e, em muitos casos, torturar e assassinar animais de outras espécies, desconsiderando totalmente os interesses similares aos nossos que esses animais também têm", explica a Fala.

Em resposta, a entidade propõe "o conceito de Direitos Animais como o mais completo na atualidade relacionado à cultura de paz, sustentabilidade e justiça social, pois a defesa dos Direitos Animais engloba não somente a defesa dos animais sencientes de outras espécies contra o especismo, mas também nossa própria defesa (nós, animais humanos) contra qualquer forma de discriminação e opressão existente em nossa sociedade, promovendo também a defesa de todo o ambiente onde nós animais estamos inseridos, ou seja, a defesa da sustentabilidade em todas as suas dimensões".

Os crimes contra os animais, ressalta a entidade, "mancham nossa democracia, pois, numa verdadeira democracia, é preciso tratar com igual respeito todos os demais animais que também tenham os mesmos interesses que nós animais humanos".

Em coro, Renata afirma: "Não é conto de carochinha. Podemos dizer que é uma utopia possível. O respeito para com os animais é a base para a construção de uma sociedade mais justa e pacífica".

Para além do respeito e da proteção das pessoas e demais animais sencientes, Renata propõe uma postura de empatia para com todas as formas de vida. "Precisamos pegar um caminho que nos leve para isso que a gente deseja, e passa por olhar pras criaturas, para uma árvore, e ver um ser que está aqui, muitas vezes, muito antes da gente, e que merece respeito", convida, ressaltando: cidades mais verdes são cidades mais seguras, mais saudáveis e onde vivem pessoas mais felizes. "Vamos abraçar as árvores, cuidar das árvores que estão nas nossas calçadas", poetiza.

sábado, 26 de setembro de 2020

'A gente percebe a mata diminuindo de forma perversa, aos pouquinhos' Proprietária de RPPN alerta: pandemia é mais uma evidência da urgência de proteger as florestas (Século Diário)

 'A gente percebe a mata diminuindo de forma perversa, aos pouquinhos'

quarta-feira, 29 de julho de 2020

Saíra-apunhalada, ave das montanhas capixabas que precisa ser preservada

Na região serrana do Espírito Santo, mais especificamente Vargem Alta, encontra-se essa espécie extremamente ameaçada de extinção. Essa ave habita florestas úmidas em altitudes de 700 a 1250 e o seu habitat está rochas, derrubada de árvores, extração ilegal de palmito e expansão de áreas sofrendo grande devastação por atividades exploratórias como extração de para formação de pastagens, plantio de eucalipto e lavouras de café.
Segundo a Wikiaves, atualmente, uma das grandes ameaças à sua sobrevivência é a falta de Unidades de Conservação de proteção integral nas áreas onde tem sido observada com mais frequência.  A saíra-apunhalada é uma ave passeriforme da família Thraupidae e criticamente em perigo. Por mais de cem anos, permaneceu conhecida por um único exemplar, raríssimos avistamentos, como oito aves observadas em 1941 em Itarana (Espírito capturado em 1870, por Jean de Roure (Pacheco,1998). Só era conhecida por Conceição do Castelo, também nesse Estado. Em Santo), até ser registrada em 1998 nas florestas da fazenda Pindoba IV, em 2003, outros exemplares foram encontrados no município de Vargem Alta e mais recentemente, novos registros foram realizados. Trata-se de uma ave extremamente rara, com referência nas mais importantes listas de aves ameaçadas do mundo.  
O nome “saíra-apunhalada” faz referência à mancha vermelha nas proximidades da garganta da espécie, que, em contraste com o peito branco, lembra uma mancha de sangue, como se o

animal tivesse sido “apunhalado” no peito por algum objeto perfurante. Mede entre 12,5 e 14 centímetros de comprimento e pesa cerca de 22 gramas. A testa é preta e não apresenta mancha loral branca (Ridgely, 1989). Partindo da testa preta, uma larga faixa preta se estende por sobre os olhos e termina logo após de coloração a região auricular. Sua coroa é cinza claro. A nuca, o manto e o uropígio são cinza puro. Asas e cauda de cor preta. O ventre, os flancos e o crisso, bem como as penas infracaudais são brancos. O bico curto é escuro, quase preto, a íris é de coloração alaranjada e os tarsos e pés são rosados.

fontedas informações: Wikiaves https://www.wikiaves.com.br/wiki/saira-apunhalada